segunda-feira, 15 de junho de 2009

Mulheres

Confesso que nunca fui fã do Paulo Coelho... Normalmente não encontro nada novo nos milhentos lugares-comuns que utiliza nas suas epístolas. Hoje, porém, recebi de um amigo este texto e... não é que gostei? Porque será? Será que os homens pensam todos assim?


Opinião de um homem sobre o corpo feminino
Não importa o quanto pesa.
É fascinante tocar, abraçar e acariciar o corpo de uma mulher. Saber seu peso não nos proporciona nenhuma emoção.
Não temos a menor ideia de qual seja seu manequim. Nossa avaliação é visual, isso quer dizer, se tem forma de guitarra... está bem. Não nos importa quanto medem em centímetros - é uma questão de proporções, não de medidas.
As proporções ideais do corpo de uma mulher são: curvilíneas, cheiinhas, femininas... . Essa classe de corpo que, sem dúvida, se nota numa fracção de segundo.
As magrinhas que desfilam nas passarelas, seguem a tendência desenhada por estilistas que, diga-se de passagem, são todos gays e odeiam as mulheres e com elas competem.
Suas modas são retas e sem formas e agridem o corpo que eles odeiam porque não podem tê-los. Não há beleza mais irresistível na mulher do que a feminilidade e a doçura.
A elegância e o bom trato, são equivalentes a mil viagras. A maquilhagem foi inventada para que as mulheres a usem. Usem! Para andar de cara lavada, basta a nossa.
Os cabelos, quanto mais tratados, melhor. As saias foram inventadas para mostrar suas magníficas pernas... Porque razão as cobrem com calças longas? Para que as confundam connosco? Uma onda é uma onda, as cadeiras são cadeiras e pronto. Se a natureza lhes deu estas formas curvilíneas, foi por alguma razão e eu reitero: nós gostamos assim. Ocultar essas formas, é como ter o melhor sofá embalado no sótão.
É essa a lei da natureza... que todo aquele que se casa com uma modelo magra, anoréxica, bulémica e nervosa logo procura uma amante cheiinha, simpática, tranquila e cheia de saúde. Entendam de uma vez! Tratem de agradar a nós e não a vocês. porque, nunca terão uma referência objectiva, do quanto são lindas, dita por uma mulher.
Nenhuma mulher vai reconhecer jamais, diante de um homem, com sinceridade, que outra mulher é linda.
As jovens são lindas... mas as de 40 para cima, são verdadeiros pratos fortes. Por tantas delas somos capazes de atravessar o atlântico a nado. O corpo muda... cresce. Não podem pensar, sem ficarem psicóticas que podem entrar no mesmo vestido que usavam aos 18. Entretanto uma mulher de 45, na qual entre na roupa que usou aos 18 anos, ou tem problemas de desenvolvimento ou está se auto-destruindo.
Nós gostamos das mulheres que sabem conduzir sua vida com equilíbrio e sabem controlar sua natural tendência a culpas. Ou seja, aquela que quando tem que comer, come com vontade (a dieta virá em Setembro, não antes; quando tem que fazer dieta, faz dieta com vontade (sem sabotagem e sem sofrer); quando tem que ter intimidade com o parceiro, tem com vontade; quando tem que comprar algo que goste, compra; quando tem que economizar, economiza.
Algumas linhas no rosto, algumas cicatrizes no ventre, algumas marcas de estrias não lhes tira a beleza. São feridas de guerra, testemunhas de que fizeram algo em suas vidas, não tiveram anos 'em formol' nem em spa... viveram! O corpo da mulher é a prova de que Deus existe. É o sagrado recinto da gestação de todos os homens, onde foram alimentados, ninados e nós, sem querer, as enchemos de estrias, de cesarianas e demais coisas que tiveram que acontecer para estarmos vivos.
Cuidem-no! Cuidem-se! Amem-se! A beleza é tudo isto.
Paulo Coelho

10 comentários:

Linda disse...

Belo texto!!!
Afinal estou no ponto, isto é... não sou anoréctica , já passei dos 40, como com vontade ( a dieta começa amanhã), só estou à espera que alguém atravesse o Atlântico por mim :))))

candongueiro disse...

Olha miga, a sensibilidade está com quem a tem e Paulo Coelho tem ainda mais textos na qual o seu sentimento e admiração pelo sexo oposto é o principal tema,já conhecia e partilho plenamente da opinião dele "só que ele publicou " a mulher é o ser que mais devemos valorizar e aprender a ver e conquistar. Já agora miga tenta começar a ler Pablo Neruda e verás que hexiste muita gente a partilhar da simples e comum opinião do Paulo.
Bjinhos

fidalgo disse...

hoh minhas lindas e se não tiverem pneus, nem queiram saber quanto eu gosto delas...

E já agora não abusem das maquilhagens...
Vão por mim que de coelho não tenho nada.

carícias...

Observador disse...

Qualquer coisa escrita por Paulo Coelho deixa-me de pé atrás.
Este texto, porém, deve ter sido escrito numa noite de lua cheia e de inspiração transbordante.

Está bem concebido e bem conseguido.

Não estou totalmente de acordo com Paulo Cardoso mas isso é apenas um pormenor de opinião.

Brancamar disse...

Querida Albertina,

Por acaso também não estou totalmente de acordo com o Paulo Coelho. Já comentei este texto há tempos no blog de outra amiga. Do Paulo Coelho li apenas o "Alquimista" que na altura adorei e metade de "Os Caminhos de Santiago" se não me engano no título e que também estava a adorar...hoje pelo ritmo alucinante a que a obra dele saiu não sei dizer se a qualidade será a mesma.
No entanto este texto desiludiu-me e para perceberem porquê, vou num instante fazer uma cópia do meu outro comentário:
"...o que me surpreende nele e nas contradições que o texto encerra.
Se por um lado tem momentos muito belos e estimulantes para mulheres redondinhas como eu, por exemplo, pela forma como pretende abordar a espiritualidade que se reflecte nas linhas do corpo e não só, por outro lado tem contradições que não parecem de Paulo Coelho pelo pouco que conheço da sua obra.
Não percebo muito bem o que Paulo Coelho quer dizer com "...que todo aquele que se casa com uma modelo magra, anoréxica, bulimica e nervosa logo procura uma amante cheiinha, simpática,tranquila e cheia de saúde." e "Tratem de agradar a nós e não a vocês.", para já não falar nas observações sobre o uso de saias e calças, todos estes conceitos me parecem absurdos e são a criação de esteriotipos ao contrário daqueles que pretende destruir.
Uma mulher é sempre uma mulher, que tem que se sentir bem consigo própria quer seja gorda ou magra, alta ou baixa e então sim, na sua totalidade de mulher ele escreve na parte final um hino maravilhoso à beleza da sua vida interior e do seu corpo enquanto expressão dessa vida e do amor que dela brota, dizendo que:

"Algumas linhas no rosto, algumas cicatrizes no ventre,algumas marcas de estrias não lhes tira a beleza. São feridas de guerra, testemunhas de que fizeram algo em suas vidas, não tiveram anos 'em formol' nem em spa...viveram!


O corpo da mulher é a prova de que Deus existe. É o sagrado recinto da gestação de todos os homens, onde foram alimentados, ninados e nós, sem querer, as enchemos de estrias, de cesarianas e demais coisas que tiveram que acontecer para estarmos vivos."

Penso que era esta a sua ideia principal e esta descrição da mulher-sinónimo de vida é realmente brilhante.

E tenho dito, para não me alongar mais, só gostava de saber porque ele não quer que a mulher tape as pernas com calças, eheheh!E também gostava de saber se conforme afirma ia atràs de uma amante se lhe calhasse uma magrinha na rifa.
Dou um desconto ao senhor, acho que não estava bem neste dia, porque se não lhe der um desconto perde muitos por cento na minha consideração, embora tenha pretendido elevar senhoras da minha "estirpe".
Beijinhos.

Mrs. Sea disse...

Desse texto também eu gosto! :)
Bjins

elvira carvalho disse...

Conheço o texto que não sei se é do Paulo Coelho, embora seja apresentado como tal. Do escritor conheço três livros e dos três gostei bastante. Um deles deu origem há uns anos atrás a uma novela da globo que passou na SIC.
Um abraço

Graça Lopes disse...

Já conhecia este texto e depois de ler o comentário da Branca não posso deixar de estar 100% de acordo com o seu comentário. Fiquei sem palavras, está tudo dito.
Beijo

Primogénita disse...

Concluindo: o problema não somos nós, minhas senhoras! Bichinhos na cabeça todas temos e cá nos vamos aguentando (umas melhores que outras, é um facto!).

O real problema está nos homens do século XXI que "não se aguentam à jarda"! Ponham-lhes uma mulher (uma das verdadeiras) à frente. O que acontece? Ou fogem ou insurgem-se com toda a sua "masculinidade"... inventem-se novos homens, é o que tenho a dizer ;)!!!

Besos enormes a todas as minhas guapas tias, sobrinhas, mãe e whatever!

cmykismybestfriend disse...

n gosto da mulher da ftografia parece prostituta